Peças Encenadas

A Guerra Civil de Gumercindo Saraiva

A GUERRA CIVIL DE GUMERCINDO SARAIVA

Estreou na Sala das Máquinas do Museu do Trabalho em 15 de outubro de 2015, Porto Alegre.

A peça aborda a epopeia do caudilho Gumercindo Saraiva na guerra civil mais violenta da história do Brasil, conhecida como Revolução da Degola ou Revolução Federalista de 1893, sangrento e bárbaro conflito que mergulhou no caos o sul do Brasil. Gumercindo Saraiva foi o principal chefe militar da revolução. Vindas do Uruguai, suas tropas invadiram o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. Avançaram sobre o Paraná, tomaram Curitiba e puseram em cheque o governo de Floriano Peixoto.

Gumercindo Saraiva lutou pela liberdade, contra a tirania. Foi morto em 10 de agosto de 1894, em Carovi, quando reconhecia o terreno. A Divisão do Norte, exército legalista que o perseguia, desenterrou e mutilou seu corpo. Sua cabeça foi cortada e enviada para o Presidente da Província, Julio de Castilhos, dentro de uma caixa de chapéu.

A revolução dos rebeldes Maragatos contra os legalistas Chimangos ocorreu entre 1893 e 1895. Não se faziam prisioneiros e nem os feridos eram poupados. Milhares de pessoas morreram nos campos de batalha e outros tantos foram degolados.

“A Guerra Civil de Gumercindo Saraiva” baseia-se livremente na história do “montonero” Gumercindo Saraiva, homem valente montado a cavalo que tinha um olhar que paralisava as pessoas. Caudilho da fronteira ao qual cortaram a cabeça, brasileiro que falava mais espanhol que português.

Will Cavalcanti pintou em grandes formatos 250 m² de pintura para os cenários da peça. Seus desenhos disseram claro e legível, partilharam as viagens da imaginação e levaram o clima da encenação por um caminho raro. O caminho do talento.

FICHA TÉCNICA:
Elenco: Gaio Fontella, Rosa Lima, Tito Ravaglia, Pablo Parra, Fernanda Santhos, Graziela Galicchio e LidiHoffmann
Músicos: Henrique Pasqual, Henrique Muller, Jonas Dornelles e Cibele Blanco
Iluminação: Gerry Marquez
Fotos de cena: Cláudio Etges
Divulgação: Jussara Porto
Direção do Museu do Trabalho: Hugo Rodrigues
Gerente de Produção: Anne KatrinDireção Musical: Henrique Pasqual
Pinturas do Cenário: Will Cavalcanti
Direção: Julio Zanotta

DATA DE ESTREIA:
15 de outubro de 2015 no Museu do Trabalho em Porto Alegre/RS

NA IMPRENSA

Aí vêm os Maragatos

E se o tema não costuma estar tão presente assim na memória dos gaúchos, o diretor quer resolver este problema nos palcos. O conflito é o pano de fundo de A Guerra Civil de Gumercindo.

Zero Hora

14 de outubro de 2015
Por: Nathália Carapeços
Musical aborda a Revolução Federalista de 1893

Entre as máquinas antigas, ferramentas, peças manufaturadas e artefatos rústicos. O musical é uma ficção histórica sobre a saga de um dos personagens mais singulares e polêmicos da guerra civil mais violenta do Brasil.

O Sul

14 de outubro de 2015
Por: Redação O Sul

GALERIA DE FOTOS

LEIA O PROGRAMA DA PEÇA